MARROCOS ESPECIALISTAS

Cidades Imperiais

Um Circuito Turístico Fascinante

Rabat
Volubilis - Meknès
Fez
Marrakech
Circuito Turístico
  • Cidades Imperiais
    O circuito começa com chegada ao Aeroporto Mohammed V em Casablanca, a capital económica do país, onde passará a primeira noite.

    O 2º dia é dedicado a Rabat, a capital do Reino de Marrocos. No 3º dia vai descobrir Meknés. No 4º dia visita a cidade de Fez. No 5º dia é a espantosa viagem pelos vales verdes da montanha do Alto Atlas e os seus picos cheios de

neve, com paragem em Imouzzer Kandar, Ifrane – A Suiça de Marrocos, Beni Mellal, as aldeias bérberes nos socalcos do Alto Atlas e as famosas cascatas de Ouzoud.
No 6º dia será a visita a Marrakech com o inesquecível jantar na Praça Jemaa El Fna.
No 7º dia vai descansar e desfrutar do requinte, do relax e bem-estar no seu hotel e na cidadede Marrakech. No 8º dia vai viajar de Marrakech para o Aeroporto Mohammed V em Casablanca.

Meknés
  • A Cidade Eterna
    Meknès é uma Cidade Imperial e histórica, fértil e feliz. São planícies de trigo, oliveira, frutas e vinhas. Depois de ter sido à 2.000 anos atrás o "Celeiro do Império Romano" com sede na belíssima cidade de Volubilis, famosa pelos seus mosaicos romanos, alamedas e arcos triunfais, classificada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, hoje continua a ser um dos mais ricos celeiros do reino de Marrocos.

    O seu clima ameno deve-se à proximidade das montanhas do Médio Atlas onde as neves desenham pistas de ski e as águas puras dos riachos têm as emoções da pesca à truta, com a Cidade de Ifrane a ser considerada a "Suiça de Marrocos".

    Vista ao longe a Medina de Meknés é uma autência fortaleza de imponentes muralhas e belas portas fortificadas, de onde sobressai uma exótica coleção de mesquitas e elegantes minaretes.

    As muralhas da Medina de Meknés estendem-se por 40kms.

Aqui cada porta é uma obra de arte do sultão Moulay Ismail, da dinastia Alauita que no século XVII tornou Meknés na primeira Cidade Imperial de Marrocos, hoje classificada como Património Mundial da UNESCO.

Os primeiros palácios deste sultão - Dar El-Khira e Dar El-Makzem - a par do Mausuléu de Moulay Ismail formam um pequeno mundo luxuoso, no qual se entra pelas monumentais portas de Bab Mansour e Bab Berdaine. Depois é cruzar a Praça El-Hédim para admirar os bordados de ouro no Palácio Dar Jamai e descobrir as ruelas sombreadas, efervescentes e intensas das Souks da Medina, onde 50.000 artesãos esperam a sua vinda. Na Medina há óptimos riads com restaurantes e alojamentos sumptuosos.

Mas ao final da tarde é obrigatório voltar às grandes esplanadas da Praça El-Hédim para, enquanto janta, ou saboreia um chá de menta com absinto, poder ver acrobatas, cuspidores de fogo, encantadores de serpente e se divertir com os músicos meknassis.

Rabat
  • A Capital do Reino de Marrocos
    A Cidade Imperial de Rabat tem o seu passado bem conservado na sua Medina, cujas muralhas de cinco portas envolvem o Souk – o mercado típico das mil lojas dos artesãos de couro, dos tecidos, do metal branco, das ervanárias, do ouro, das especiarias, dos bordados e do requinte dos tapetes rbati. As muralhas da Medina juntam-se na fortaleza da Kasbah das Oudayas, debruçada sobre a foz do rio Bouregreg, onde dá gosto ver as ruas floridas e sentar-se no seu Café Mouro. Foi aqui que nasceu no século X a Dinastia dos Almóadas que sob o comando do sultão Yacoub El Mansour, conquistou todo o sul de Espanha e construiu, no século XII, a monumental Torre Hassan, nessa época uma das maiores mesquitas do mundo árabe.

    Hoje a Torre Hassan tem por companhia a beleza do Mausoléu Mohammed V, autêntica obra-prima da arte marroquina, toda em mármore, madeiras raras, gessos artísticos e bronzes cinzelados. Aqui encontra-se o túmulo de Mohammed V – o rei da independência de Marrocos – e os túmulos dos seus dois filhos, o famoso rei Hassan II, falecido em 1999, e o Príncipe Moulay Abdallah. Desde o terreiro do Masouléu vê-se a belíssima paisagem do rio Bouregreg e a beleza

da cidade branca de Salé, outrora uma pequena e curiosa república de corsários, mas cujos artesãos hoje continuam a fazer as mais belas cerâmicas do reino de Marrocos.

Rabat combina com elegância o passado das suas tradições artísticas e artesanais que vivem na sua Medina, com a grandiosidade do seu Palácio Real e a modernidade das suas avenidas largas e floridas, os hotéis de luxo, os restaurantes de charme, os jardins de Chellah, os tesouros do mais belo Museu Arqueológico do Norte de África, ou o requinte dos fairways do Royal Golf onde se joga o European Tour.

A sul de Rabat surgem as praias para dourar ao sol e os resorts de Skhirat, onde há ondas perfeitas para o surf, a percorrer os areais dourados de Vale d'Or.

Mas o mega-projeto Wissel do Bouregreg que a Microsoft em 2014 elegeu como um dos vinte melhores planos tecnológicos do Mundo, para a recuperação e inovação ecológica das margens oceânicas e do estuário do Bouregreg, fez nascer um novo centro turístico, cultural e futurista, formando uma nova e grande cidade sofisticada, em breve ligada a Tânger e a Casablana por TGV que vai tornar Rabat na Capital da Luz e da Cultura de Marrocos.

Fez
  • A Cidade Fascinante
    Fez é a mais antiga Cidade Imperial de Marrocos. O requinte dos seus palácios, a riqueza dos seus museus, a grandeza das suas madraças (universidades islâmicas) que acolheram os sábios mais eruditos da Idade do Ouro (séculos XI e XIV) que fazem dela um autêntico museu a céu aberto.

    A Medina de Fez tem mais de 1.200 anos e é desde então uma espantosa encruzilhada de várias civilizações. Fez herdou a nobreza árabe, o requinte andaluz, o engenho judaico e a tenacidade berbere. E por saber conservar o seu património arquitetónico e a autênticidade das suas tradições, esta Cidade Imperial impressiona e fascina todos os seus visitantes.

    A Medina de Fez está classificada como Património da Humanidade da UNESCO e é o coração da cidade antiga Fez-el-Bali, percorrida por 9.400 ruelas e decorada com 185 mesquitas e cerca de 10.000 edifícios históricos, palácios, madraças e foundouks (pequenos hotéis para guardar as mercadorias dos comerciantes em viagem), rodeados por um mundo de pequenas lojas de artesãos, onde a arte e o tempo são eternos.

A mesquita de Quaraouiyne, fundada em 859 d.C., no coração da Medina é a sua mais antiga e maior mesquita, cuja biblioteca milenar é a mais valiosa de Marrocos. À sua volta tem a mais famosa universidade muçulmana do mundo - a primeira universidade no mundo fundada por uma mulher, a famosa senhora Fátima Al Fihrya. O Souk Es Seffarine é rodeado por infinitas lojas de pratas e metal branco, cuja arte nos leva aos Museus no Palácio Batha e no Museu Nejjarine.

Todas as ruelas da Medina são ocupadas por Souks, onde cada um deles tem uma arte e ofício diferente. O Souk Attarine, cujas portas fecham à noite, é um pequeno mundo de plantas medicinais. Depois há o Souk dos bordados de Fez, o Souk da Hena ou dos cosméticos naturais (argão, rimel natural, água de rosas, etc) e o inesquecível Souk das peles e curtidores, com a espantosa panorâmica das tinas com cores variadas para dar cor às peles.

As portas douradas do Palácio Real, o Bairro Judeu - Mellah - com a sua sinagoga e os Túmulos Mérinides - a dinastia que fundou o bairro de Fez Jdid, no século XIII, que vigia e se liga à Medina pelas belíssimas portas de Bab Boujloud, abertas ao bem-estar nos Riads e nos hotéis de luxo de Fez.
www.festourism.org - www.visitefes.com

Marrakech
  • A Pérola do Sul
    A belíssima Medina de Marrakech é uma espantosa cidade amuralhada de ocre, com o verde dos palmeirais e a altivez do minarete da mesquita da Koutoubia, até aos mil recantos do Souk - o mercado tradicional coberto de finas traves de madeira e suave claridade. Aqui há um pequeno mundo de lojas de tecidos e sedas, tapetes e peles, doces e especiarias, artesanato de madeira, bandejas e belos pratos de metal branco (liga de bronze, zinco e níquel), doces, tâmaras e frutos secos, perfumes e produtos naturais, como o óleo de argão que rejuvenesce a pele, tal como os tradicionais Hammams se renovam como luxuosos Spas ao lado de Riads - pequenos hotéis em estilo árabe-andaluz, no coração do Souk de Marrakech.

Outras jóias de Marrakech são os Jardins da Ménara, os Túmulos Saadianos, os Palácios El Badi e Bahia, o Museu Dar Si Said, a Madraça Ben Youssef (Universidade Islâmica), o Jardim Majorelle da Fundação Yves Saint Laurent ou as lojas de luxo, o Grand Casino Mamounia, os hotéis e os restaurantes chiques de Gueliz e Hivernage - os bairros de luxo de Marrakech.
Depois do pôr-do-sol na mágica Praça Jemaa El-Fna, entre encantadores de serpentes, acrobatas, músicos, danças do ventre e um exótico jantar, você vai sentir toda a alegria de estar nesta praça milenar, tão vibrante e única, eleita Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Anterior Seguinte